Time

Artilheiro da temporada, Pablo elege ‘top 3’ e destaca emoção por título em casa

Gol do Pablo! Esta frase se repetiu nada mais nada menos do que 18 vezes na temporada de 2018. O atacante foi o artilheiro do Rubro-Negro no ano depois de marcar 12 gols no Campeonato Brasileiro, cinco na Conmebol Sul-Americana e um gol na Copa do Brasil.

Destes, dois ajudaram, e muito, no título da Conmebol Sul-Americana. O artilheiro marcou nos dois jogos da decisão, em Barranquilla e em Curitiba. A temporada foi coroada com o inédito título sul-americano e o nome marcado na história do Clube.

“É uma emoção enorme ser campeão da Sul-Americana pelo Clube que me formou. Um menino que veio da base, passou por dificuldades dentro e fora do Clube. Esse título me coloca na história e tenho certeza que eu e meus companheiros seremos lembrados sempre, porque é um título que coloca o Athletico em outro patamar”, salientou.

O título veio nos pênaltis, com o Joaquim Américo lotado e recebendo um novo recorde de público: 40.263 pessoas. “Fantástico, fabuloso, espetacular. Eu vi a Arena antiga lotada e vi a nova Arena lotada. É incrível”, afirmou Pablo.

 

 

Além dos gols e do título, Pablo completou 12 anos no Clube em 2018. Entre idas e vindas, o atacante soma 171 jogos no Furacão, com 35 gols marcados. “Eu me recordo de como cheguei no Athletico, no dia 22 de agosto de 2006. Sou muito feliz e satisfeito com a minha carreira até aqui, mas quero mais”, garantiu.

Apesar do destaque individual, o camisa 92 faz questão de ressaltar a importância da força do grupo. “Fiquei feliz com o meu ano e tenho certeza que não fiz isso sozinho. A gente formou uma família e foi um ano inesquecível para a história do Athletico”, frisou.

Na história escrita por Pablo em 2018, três gols marcaram o atacante. “O gol contra o Grêmio é o terceiro mais bonito. O segundo é o gol contra o Bahia, nas quartas de final da Sul-Americana. E acho que o gol mais bonito foi o gol da final contra o Junior Barranquilla, na Colômbia”, apontou.

“Por tudo o que aquele jogo representou para mim. Eu não estava bem fisicamente e na hora que eu vi o Nikão arrastando a bola, dei um pique e foi o gol mais bonito”, concluiu o artilheiro rubro-negro.

 

A reprodução das fotos é proibida, salvo prévia autorização por escrito do CAP.

Comentários

Jhonatam Moro
9 meses

Excluir
Craque merece ir pra Europa denovo apesar de que eu preferia aqui no Athlético