Time

De desacreditado à referência: Nikão pode completar 200 jogos no domingo

Créditos: Miguel Locatelli/Site Oficial

Duzentas vezes Nikão! O meia está prestes a alcançar uma marca expressiva pelo Clube. Se entrar em campo contra o Internacional, no próximo domingo (14), ele completará 200 jogos com a camisa rubro-negra.

Em sua quinta temporada no Furacão, Nikão é o atleta do atual elenco com mais partidas disputadas pelo Clube. O atacante Marcelo, que tem 198 jogos, vem logo em seguida.

Em 199 partidas, o meia soma 88 vitórias e 50 empates. São 23 gols marcados e 30 assistências. Nikão foi campeão estadual em 2016 e campeão da Conmebol Sul-Americana no ano passado.

“Essa marca representa muita coisa”, destacou o meia. “A palavra que sempre uso é gratidão pelo Clube que me abriu as portas, deu oportunidade de mostrar meu trabalho e jogar. O presidente é um cara sensacional, que acreditou que eu poderia me tornar esse jogador e mudar o meu patamar no futebol”, completou.

Antes de chegar ao Rubro-Negro, Nikão passou por equipes como Atlético Mineiro, Bahia, Vitória, Ceará, Ponte Preta e América Mineiro. Ainda nas Categorias de Formação, jogou em clubes como CSKA [Rússia], PSV [Holanda], Santos e Palmeiras.

“É importante poder olhar para trás e ver que valeu a pena todo o esforço e a minha dedicação desde que cheguei aqui, sempre com a ajuda de todos os profissionais do Clube. Hoje eu tenho o respeito de todos no cenário nacional, tirando os rótulos que eu tinha. Isso é gratificante e só tenho a agradecer”, exaltou.

Antes da partida contra o Internacional, que pode ser marcante para Nikão, o Site Oficial traz uma entrevista especial com o meia. Ele falou sobre o apoio recebido no CAT do Caju, os 199 jogos até aqui, os momentos especiais e a gratidão pelo Athletico.

Site Oficial: Você chegou ao Clube em 2015. Quais eram os sonhos do Nikão naquela época?
Nikão: Cheguei totalmente desacreditado, acima do peso, e acho que ninguém mais acreditava no meu trabalho, a não ser a minha família e a minha esposa. Eu coloquei na minha cabeça que era a última oportunidade que eu teria, e teria que mudar a minha vida profissional. É importante poder olhar para trás e ver que valeu a pena todo o esforço e a minha dedicação desde que cheguei aqui, sempre com a ajuda de todos os profissionais do Clube. Hoje eu tenho o respeito de todos no cenário nacional, tirando os rótulos que eu tinha. Isso é gratificante e só tenho a agradecer.

Site: Antes de chegar ao Athletico, você havia passado por diversos Clubes. Aqui você assinou, inicialmente, por três temporadas. A estabilidade era algo que você buscava?
Nikão: Sem dúvidas. Todas as equipes que eu passei, eu não joguei mais de um ano. Era sempre um ano e ia para outro clube. E eu precisava dessa afirmação. Quando as pessoas lembravam ou falavam do Nikão, comentavam que era um jogador que não parava em lugar nenhum. Primeiro fiz um contrato de três anos. Antes de terminar, renovei, e depois renovei mais uma vez. Ter essa afirmação é muito gratificante. Hoje muitos meninos me têm como espelho e é isso que eu levo comigo.

Site: O que mudou no Nikão de 2015 para o Nikão de 2019?
Nikão: Tudo. Acho que o que não mudou foi o talento, porque isso é um dom de Deus. Você aprimora várias partes no futebol, mas dom é dom. Mas o Nikão de 2015 para hoje mudou bastante. Hoje tenho uma esposa, filho. Hoje sei das minhas responsabilidades para a equipe, o torcedor e o Clube.

Site: Neste domingo (14), você pode completar 200 jogos pelo Clube. O que isso representa para você?
Nikão: Essa marca representa muita coisa. A palavra que sempre uso é gratidão pelo Clube que me abriu as portas, deu oportunidade de mostrar meu trabalho e jogar. O presidente é um cara sensacional, que acreditou que eu poderia me tornar esse jogador e mudar meu patamar no futebol.

Site: Destes 200 jogos, consegue escolher algum especial? Ou os mais importantes?
Nikão: São tantos jogos que alguns eu nem lembro (risos). Três jogos me marcaram bastante. O primeiro foi no Campeonato Paranaense de 2016, quando fomos campeões contra o Coritiba. Era uma equipe desacreditava por quase todos e ninguém acreditava que faríamos 3 a 0 dentro da nossa casa. Foi um título que representou muito para nós. Outro jogo foi na nossa classificação da Libertadores, contra a Universidad Católica, onde todo mundo dava o Flamengo e mais uma equipe como classificados. Fomos lá, vencemos e conquistamos a classificação. E o título da Copa Sul-Americana. É um título que representa muito para mim. Antes da parada da Copa do Mundo, era uma equipe que estava na zona de rebaixamento, e muita gente dava que não teríamos forças para reagir. O Tiago deu uma cara nova para a equipe e, juntos, conseguimos construir essa história e conquistar o título.

Site: Teve algum momento especial fora de campo que ficou marcado?
Nikão: Dentro do Clube, a partir do momento que entreguei minha vida para Jesus, tudo mudou. Desde o pensamento de treinamento, dedicação, até abdicar de muitas coisas para colher o que estou colhendo agora. Foi um processo árduo. Mas o Clube dá muitas oportunidades para todos e te trata como pessoa e não objeto. Te dá as condições de alongar a carreira e sempre evoluir como jogador e homem.

Site: Você se considera um ídolo do Furacão?
Nikão: Essa questão eu deixo para o torcedor escolher. Se ele me der esse prazer, fico muito feliz. Tenho sempre meus pés no chão e humildade para reconhecer que preciso trabalhar muito. Para ser ídolo de alguém, você precisa buscar isso. E nesses quase cinco anos que vivi aqui, acho que fui pelo caminho certo. Agradeço demais o apoio de todo torcedor rubro-negro pelo carinho que recebo. Eles fazem parte de tudo que vivi e desses 200 jogos.

Site: Para o torcedor que não te conhece, como é o Nikão fora de campo?
Nikão: Sou um cara muito tranquilo e família. Faço de tudo pelo filho e pela esposa. Tento, a todo tempo, ser exemplo para o meu filho. Busco ensinar os caminhos corretos para ele ser uma pessoa de caráter e com sucesso na vida. Gosto de ir à Igreja e de estar com as pessoas por perto. Mudei bastante e procuro sempre ser exemplo.

Site: Qual o sonho do Nikão para esta partida contra o Internacional?
Nikão: O meu sonho é terminar a tarde com uma vitória. Se for da vontade de Deus, também poder marcar um gol. Ficarei muito feliz se isso acontecer, de fazer um gol em um jogo tão importante para mim e para a equipe. O primeiro é objetivo é vencer, depois poder ajudar da melhor maneira.

Fotos: Miguel Locatelli/Site Oficial