Time

Virada em 2013 inspira Marcelo para reverter o resultado contra o Grêmio

Créditos: Gustavo Oliveira/Site Oficial - Arquivo

O Athletico tem um grande desafio pela frente. Nesta quarta-feira (4), o Furacão recebe o Grêmio, às 19h, pelo jogo de volta da semifinal da Copa do Brasil. O duelo acontece no Estádio Joaquim Américo. Confira aqui como garantir o seu lugar!

Como perdeu o primeiro jogo por 2 a 0, o Rubro-Negro precisa vencer por pelo menos três gols de diferença para se classificar. Caso vença por dois gols de diferença, a equipe do técnico Tiago Nunes leva a semifinal para os pênaltis.

Em sua 23ª participação na Copa do Brasil, o Furacão já reverteu resultados em seis confrontos [Treze, Vitória, Atlético-GO, Rio Branco-AC, Sampaio Corrêa e Palmeiras]. O último deles foi em 2013, contra o Palmeiras.

O Rubro-Negro perdeu por 1 a 0 no Pacaembu, em São Paulo (SP), e fez 3 a 0 na Vila Capanema, em Curitiba.

“Foi um jogo difícil, contra outra grande equipe que é o Palmeiras. Foi um primeiro jogo difícil no Pacaembu, onde criamos muitas oportunidades e acabamos penalizados com a derrota por 1 a 0”, recordou o atacante Marcelo, remanescente de 2013.

“E no jogo de volta, na Vila Capanema, a gente sabia que tinha capacidade e time para virar aquele jogo. Isso nos motivou a conseguir a vitória por 3 a 0 e a classificação”, acrescentou.

Naquela virada, Marcelo saiu do banco aos 17 minutos do segundo tempo e deu a assistência para Ederson marcar o terceiro e sacramentar a classificação, aos 32’. “Eu pude ajudar com a assistência no terceiro gol e isso nos motiva. A gente se recorda e lembra dos grandes momentos”, disse.

Para a atual situação, o camisa 10 compara a motivação e confiança no grupo para repetir o feito de seis anos atrás.

“Agora é igual. Sabemos que o Grêmio tem uma grande equipe, mas confiamos no nosso trabalho e na nossa equipe. Temos todas as chances de conseguir a classificação dentro de casa”, assegurou.

A lembrança positiva é um combustível extra para buscar a vaga na decisão pela segunda vez na história. “Outros jogadores também devem ter momentos de recordação de reviravolta. Procuramos lembrar e reviver esses jogos para que nessa partida de agora a gente consiga o mesmo êxito”, finalizou Marcelo.